PAGINAS

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Este poema tem a ver com a realização da humanidade em seu interior. É a gestação de uma nova consciência e de uma nova vida, um novo começo, uma nova luz. Isis Urânia é a própria Mãe Terra, que cria o meio em que vivemos e prostituímos com nossa ganância e desejo desenfrado. O desenho não está tão bom, mas eu chego lá.





ISIS URANIA

Do sumo da maçã o homem nasceu, um veneno doce e confuso,
As palavras se escondem e se perdem em seu escasso uso,
Mas o homem continua em sua sede pelo sumo da maçã,
Criando um mundo artificial, mal resolvido no divâ.

A virgem está grávida e mais uma vez surge a luz,
Mais um filho de Deus que espera em frente da cruz,
O fardo é pesado e difícil de agüentar,
A Lua está cheia e a virgem busca um local para sentar.

A Terra se prepara para uma nova mudança,
A humanidade traz para si uma nova criança,
E renasce o mundo com muito mais esperança,
E o que existiu ficará apenas na lembrança.

Não se pode agradar o que está em oposto,
Não se pode discernir o estranho gosto,
E a maçã apodrece antes de gerar seu fruto,
Choram os homens e os anjos ficam de luto.