PAGINAS

domingo, 30 de dezembro de 2012

ESTAÇÕES


                                 



                                           ESTAÇÕES

    Mudaram as estações, e a humanidade não consegue sintonizar.
    As rádios que tocavam musicas falando de índios,
    hoje abrem sintonia para a verborragia religiosa.


    O trem passa pelas estações carregando pessoas inertes, 
    que se congelam entre uma estação e outra.
    Parados, imobilizados pela obrigação da rotina.


    Uma pedra no sapato, ou uma pedra que derrubou o gigante, 
    é a mesma pedra que foi colocada em cima do assunto.
    Mas ainda falam de ecologia, e ainda falam de desmatamento,
    falam de poluição. 
    Sonora? Visual? Dos rios, ares e mares?

    As estações passam e a humanidade envelhece,
    se esquece das coisas que já passaram, por onde o trem já passou.
    Pela Lua que o homem pisou, a quantidade de gente que matou.


    Por amor, por Deus, pelo País. Qual será a nova sintonia?
    O radio não toca música, mas gera suas vítimas.
    Estamos livres das gerações atômicas?
    Seremos escravos da idiotice?
    De palavras jogadas ao vento?

    A arte perdeu seu lugar para o que se diz cultura.
    Nossa vida passa feito uma prostituta.
    Responderemos processos pelos próximos preconceitos?
    Haverá uma nova inquisição?
    A liberdade de pensamento só é liberta quando somos escravos, 
    não podemos passar o limite daquilo que está imposto, 
    e se paga o imposto de se viver fora da sintonia.

    Quem sabe com a mudança das estações.
    Quem sabe o trem para em um novo lugar.
    Onde ar, água, terra e fogo vivam em harmonia.
    E a música da banda não seja coisa do diabo,
    E que o diabo esteja ocupado em buscar sua própria sintonia!
    Graças a Deus!!!!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

TRITHEMIUS





TRITHEMIUS

(Homenagem ao Abade Johannes Trithemius)

Tudo em tríplice dimensão,
Mente, corpo, coração,
Pai, Filho, Espírito Santo,
Ou a mãe, seus véus velados, seu manto.

Trindade em diversas línguas, na religião,
Theos, Logos e Psiquê, como diz Platão,
As Leis, a Terra e o Paraíso,
De dois lados da Balança, o meio é o Juízo.

Três coisas para acalmar,
Paisagens, doces aromas, e uma melodia pra cantar,
Três segredos não revelados,
Da Vida, da Ressurreição e do Tempo ilimitado,
Três palavras que resumem tudo,
Eu Amo Você, deixa qualquer um mudo.

Com três notas se forma um acorde,
Com três cabeças Cérbero morde,
Três são as Górgonas do inferno,
Virando pedra num fogo eterno.

Mas entre o bem e o mal, está o meio,
Onde Deus vive e guarda tudo em seu seio.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

DUPLICIDADE





DUPLICIDADE

Aquilo que vai mas depois volta,
Lá fora apazígua, aqui dentro revolta,
O vinho tinto e o sangue pulsante,
A ignorância dentro da cabeça pensante,
Água e fogo, bem e mal, homem e mulher,
Amor e ódio, sedução e paixão, o malmequer,
Yin e yang, religião e inquisição, areia e vento,
Aberto ao mundo mas fechado por dentro.

E vai em seu movimento a duplicidade,
Criando no que existe a desigualdade,
Que de tão rebelde criada,
Acaba na igualdade tatuada,
Os duplos se unem em um sexo sagrado,
Onde o fio da navalha não fica em nenhum lado,
E tudo se cria na duplicidade do mundo,
Orgasmos do Universo tornando-se fecundo.

E somos uma chispa deste mundo sexual,
Uma gota de sêmen na taça do Graal,
Somos o que somos, fazendo parte da vida,
Mais uma duplicidade, dúvida inserida,
Um livre arbítrio para ser ou não ser,
Onde iremos com nosso duplo poder?

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

UM


UM


Um único absoluto, de onde surge o ponto inicial,
Um caminho, uma rota, uma reta, um sinal,
Um desejo, um erro, uma morte, um mal,
Um homem, uma mulher, um pecado virginal.

E surge a pergunta para uma resposta,
Surge a idéia na mesa posta,

Um Deus, um Salvador, um para “pegar pra Cristo”,
Um espírito, uma alma, um algo pra sentir que existo.

Uma palavra, um poder, um momento no tempo,
Um passado, um futuro, e o presente eu represento,
Uma vida, uma morte. Qual será a minha sorte?
Um que vai, outro que vem, é preciso ser forte.

Um amor, uma flor, uma outra idéia,
Uma mente, uma ilusão, uma formiga na colmeia,
Um ato, um gesto, um tom, um momento em mim,
Um começo, um instante, um fim.


domingo, 2 de dezembro de 2012

A ILUSÃO


A ILUSÃO

    Será que o mundo que vemos é o que realmente existe?
    Os indianos desde épocas remotas do nosso tempo já falavam sobre Maya, a Ilusão.
    Nos tempos de novelas globais a bem torneada pelos deuses, a bela Juliana Paes incorpora justamente a Ilusão. Aí vem outra pergunta: será que ela é tudo o que parece ou é também um produto de maquiagens carregadas, que disfarçam possíveis defeitos, ou ainda, produto do novo auxílio das beldades chamado Photoshop?
    Quantas mulheres no dia a dia passam despercebidas e que muitas vezes são mais belas e mais perfeitas mas não fazem parte do mundo da Ilusão.
    Um outro fato interessante é saber que a Lua também é um símbolo desta vida ilusória em que a humanidade vive. A Lua entre os gregos tinha o nome de Selene. Um dos materiais usados para a confecção dos tubos televisivos era o Selenium. Pode ser uma simples coincidência, mas é de se pensar. O tubo, hoje em dia tornou-se uma grande prisão, preenchendo as horas vagas de todas as famílias. E é um vício universal, onde a imagem que se vê está se tornando cada vez mais ilusória e artificial. Não se sabe se as notícias são verdadeiras ou são notícias criadas pelos impérios comerciais, que lucram rios de dinheiro com uma simples notícia fantástica. O exemplo mais novo é a morte do cantor Michael Jackson, que a mídia diz que não sabe se morreu ou não, ou se foi enterrado ou não. E aproveitam da morte de um ídolo da ilusão para faturarem com CDs, livros, revistas, notícias na TV e nos Jornais. Já imaginaram quanto não lucraram os meios de comunicação, as gravadoras, editoras e afins?  Existem até os mais espertinhos que querem leiloar os fios de cabelo do “astro”. Quanta Ilusão!
    Mas o ser humano vive de ilusão e necessita desta especulação, desta idolatria, seja de mortais ou imortais. Porque não consegue se desprender da escravidão que alguns criaram se tornando os sacerdotes do Grande Leviatã. Não o bíblico, mas o de Thomas Hobbes. O grande monstro eleito pelos próprios escravos que se deliciam em servir.
    A ilusão não é toda ruim. Se não fosse esta sede ilusória, não teríamos a internet, onde 90% são puro ilusionismo virtual. Os 10% que sobram, é para os que acreditam que atrás da ilusão existe algo real e que merece uma busca, um download. E quando se encontra acima da razão, do discernimento entre o que existe e o que parece existir, encontramos a verdadeira Sabedoria, que é independente do que foi dito por qualquer ciência ou religião.
    Podemos então enxergar além da ilusão e da escravidão dos sentidos e verificar que a humanidade parece que não consegue sair da animalidade e cada vez mais, se torna presa pelo seu mundo artificial, que parece surgir tão belo, mas que esconde um fim desastroso. Um mundo de lobos em suas belas peles de cordeiros. Nenhum dos cães quer largar o osso, mesmo que esteja duro de roer.
    Que venha o futuro! Os lobos de hoje já não estarão mais aqui! Quem herdar o Leviatã criado terá duas opções: ou continua alimentando sua grande fome até que não exista mais como alimenta-lo. Ou crie uma nova humanidade que tenha em mente que deve sacrificar o Dragão, qual São Jorge. E a única forma de sacrificar o Dragão é lutar contra o seu mundo de Ilusão.

domingo, 18 de novembro de 2012

PINTURA




PINTURA

Tu eras uma pintura renascentista, de grande pintor,
Que deixou em suas pinceladas os tons do amor,
Um belo quadro com cores vivas, cheiradas, degustadas,
Por grande pintor sua alma foste eternizada.

Em lindas canções sua beleza foi cantada,
Com os mais belos instrumentos, a voz mais afinada,
Um grande músico tocou a mais bela trova,
Nem Stradivarius passou por tão grande prova.

Mas eis que pessoas não dão valor às obras de arte,
Esquecendo os detalhes, as minúcias de alguma parte,
Onde se esconde o obscuro da sombra reveladora,
Na pausa magnética da música criadora.



És agora pintura de Picasso ou Dalí,
Coisas que olhei e jamais entendi,
Pintura grotesca que retrata um mundo triste,
De coisas que você deixou, que esqueceu que existe.

As canções se tornaram descompassadas,
Com instrumentos desafinados e vozes desanimadas,
Sons artificiais tentam imitar a natureza,
Músicas eletrônicas com batidas sem pureza.

A pintura jaz esquecida, num canto guardada,
Com o pó do tempo e teia de aranha acumulada,
O velho violão desafinou suas cordas mortas,
Com melodias feias, cheias de notas tortas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

HOJE




HOJE

Hoje acordei triste de saber coisas que não gosto,
Cansado de tantas lutas num caminho que aposto,
Onde o espelho oculta a verdade,
Atrás das portas que se abrem para outra realidade.

Cansei por um momento de achar que eu sou eu,
De achar que tenho compromisso com algo dito meu,
Já não sou aquele que era, não serei o que vou ser,
Jamais poderei entender o que não consigo ver.

Hoje dormirei triste pela escuridão que ainda persiste,
Na ideia fixa de se achar que ainda existe,
Entre tantas ideias que não me levaram à nada,
Ver uma vida tola e vã enfim acabada.

Mas amanhã existirá um outro dia,
Para que eu possa preencher a minha alma vazia, outra fantasia,
De um novo eu para representar de novo,
Este ser que um dia se atreveu quebrar a casca do ovo.

sábado, 6 de outubro de 2012

CIDADANIA






CIDADANIA

Dizem que votar é ato de cidadania,
Para os pobres brasileiros que de tudo faz mania,
E votam em dois turnos como se fossem campeonatos,
Nos mesmos políticos de sempre, enroladores natos.

Dizem que ser castrado de liberdade é cidadania,
Assim ninguém perde sua suada hegemonia,
São sempre as mesmas lacraias no poder,
Porque é cidadania do povo merecer.

Com urnas eletrônicas é mais difícil anular,
Quando é tudo eletrônico não tem como burlar,
E muitos tendo mais chances de errar,
Festa para os políticos, mais chances de ganhar.

Cidadania é estar insatisfeito com a corrupção,
Saber que nada muda em toda eleição,
Mudam as caras safadas todos os anos,
Educação, saúde, segurança, moradia são seus planos,
E o Brasil continua sendo colônia há mais de 500 anos!!!

Acorda Brasil!!!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

O POÉTICO LIVRO DAS MUTAÇÕES - GRANDES POSSES





GRANDES POSSES

O mendigo que caminhava com a lanterna,
Sempre trazia uma palavra amiga e terna,
Às vezes tentava iluminar lugares obscuros,
Onde a luz não chegava, por trás dos muros.

Mas nada trazia a não ser sua luz,
Nada de posse e riqueza, apenas a cruz,
E os que se aproveitavam da iluminação,
Conseguiam ver no meio da escuridão.

Qual é a verdadeira riqueza que podemos ter?
Qual é a verdade que deveríamos ver?
Aonde o homem quer chegar, em seu caminhar?
Será que não está andando no mesmo lugar?

As cortinas podem se abrir,
Os véus ocultos podem ruir,
E o que tem do outro lado do véu?
Apenas com a lanterna o homem enxergará o céu.

Possuir a vida ou ser possuído?

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O POÉTICO LIVRO DAS MUTAÇÕES - OBSTRUÇÃO




OBSTRUÇÃO

Algumas coisas da vida são para se pensar,
Algumas coisas do mundo são pra lutar,
Algumas vezes é melhor aprender jogar,
Ao invés de querer o mundo forçar.

Existe um tempo dentro do infinito para agir,
Não adianta nada caminhar, sem pra onde ir,
É o mesmo que andar dentro de um labirinto,
Como um cachorro louco, um animal faminto.

As mais poderosas pedras se ruirão ao sinal,
De uma tempestade de areia no meio do vendaval,
Os obstáculos têm seu tempo de cair,
As idéias sublimes seu momento de surgir.

Muitas vezes não tem como fugir do destino traçado,
Nem ficar dentro de seu castelo encantado,
Mesmo neste dia de guerra com o seu caminho,
A tranquilidade e a sabedoria não lhe deixa sozinho.

As coisas passam como as estações,
As músicas tocam ao fundo do infinito, belas canções,
O bardo continua em seu caminho sem obstrução,
Porque tem sua liberdade dentro do coração.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

O POÉTICO LIVRO DAS MUTAÇÕES - A PAZ






A PAZ

A paz que se esconde atrás daquilo que os vizinhos não podem saber,
Coisas ocultas e magias que não se pode ao mundo dizer,
Pela vergonha do fato de você viver algo tão distante do que gostaria,
Partindo o coração com um sorriso de lata estampado numa alma vazia.

O mágico de Oz a muito tempo te abandonou,
Com seu leão covarde que não mais lutou,
Porque o mundo é uma dádiva para aqueles que sabem onde estão,
Que saem voando, pouco se importando com a vida esnobe, com o pé no chão.

A paz que queres só existe quando o mundo que te maltrata não te escraviza,
Quando as certezas que tinhas, não encontram mais divisas,
Aquilo que brilha lá no horizonte não é o palácio do rei afortunado,
É apenas o brilho da casa do general que enriqueceu às custas de escravos capturados.

Alice conheceu o país mas sempre quer voltar,
Porque em sua preguiça gosta apenas de sonhar,
Se embriagando com o ignorante chá da loucura,
Que turva sua mente com elixir de planta impura.

domingo, 26 de agosto de 2012

UM NOVO SONHO

 
     Sou um mísero sonhador que convive entre a sabedoria e a ignorância, buscando nesta forma a expressão incompreensível  da minha verdadeira razão.
    O que busca o homem? O que busca aquele que corre contra o precipício?
    O sangue pulsa pelo circuito levando a luz para onde pode e percebe, mas a humanidade apaga a luz e anda na escuridão. Cegos que não enxergam o caminho que tendem a seguir.
    Pobre homem deslumbrado com a imensidão de seu pequeno e limitado mundo. Com seus horizontes visíveis, com suas riquezas em movimento e a vida sem um destino certo. Sendo que o único destino certo é a morte, que todos temem, mas sabem que será o limite de cada um.
     _Aproveitemos!- bradam alguns. Aqueles, que acreditam que o horizonte limitado é aquele que enxerga com sua acuidade visual, com seus desejos e sentimentos. Não percebem que existe muito mais ao seu redor do que as meras imagens ilusórias que se consiste em sua vida rápida.
     Os pobres perambulam pelo mundo em busca de uma taça do mais doce remédio. Ninguém aceita o remédio amargo. Querem um paliativo que os deixem em comunhão com a verdade que cada um almeja. Os pobres bebem do vinagre pensando que é vinho, acreditando que o acre é o sabor do licor.
     E o mundo caminha por imensos erros, por idéias antigas e gastas, que não levam a nada. Que faz com que a humanidade continue em sua inércia mental. Alguns comandam, outros obedecem. Alguns são os donos, outros são os escravos, marionetes, que acreditam que tudo é bonito e que tudo está em ordem. Levantam suas mãos aos céus agradecendo a vida miserável que levam. Agradecem o pouco que lhes dão. Agradecem a guerra, a miséria e a fome. São mensagens divinas!
     E continuam, em seu caminho de dor e esperança sem nada fazerem para que o mundo mude. Ninguém, na realidade, acredita no divino. Ninguém acredita que a humanidade pode mudar o mundo se assim quiser. Não é o que Jesus dizia?  “Aquele que tiver Fé, fará as mesmas obras que eu, ou até maiores que as minhas”. Pois então porque ninguém acredita neste poder? Porque necessitam que aconteçam catástrofes, fome, pobreza, pestes, violência, guerras? Talvez a humanidade esteja toda em sono profundo, vendo a vida passar, séculos e séculos sendo engolidos pelo tempo, rareando o que lhes resta para tomar em vossas mãos as mudanças que são necessárias.
       Acordem pobres! Que rastejam no lugar das serpentes e se perdem entre elas! Levantai e lutai contra este reino ilusório no qual vivem. Nesta Terra falsa, líquida, ígnea e aérea, que em seu final torna-se matéria em movimento perpétuo, na qual, a humanidade acredita existir, acredita ter grandes riquezas, volumosos bens, extasiados desejos e magnânimos poderes.
      Mas onde estão os poderes? Qual o poder em um mundo passageiro? Que razão existe em algo que não perpetua? Se o movimento eterno das coisas perecíveis vem e engole tudo aquilo que a humanidade criou. Então vêm outros e criam coisas novas para substituírem as que foram extintas, e o que resta é museu. O que resta é uma humanidade que caminha junto com este movimento e não percebe que também é perecível. Não somente em corpo, mas em idéias, ciências, religiões, raças e ídolos. E o poder que é dado, é ignorado como algo inalcançável, como algo que só é busca para loucos e doentes, para alucinados e charlatões atrás de dinheiro. Mas a humanidade prefere seus deuses que fazem parte de um velho templo. Deuses que moram aconchegados, dentro de templos ornados de ouro e ornados de pessoas que transformam a busca da espiritualidade em rotina dominical, em antro de orações. São sagrados apenas enquanto estão ali. Depois saem e vão para os seus vícios, que são cada vez piores. Suas orações pedem saúde infinita, prosperidade abundante, ou até mesmo, vingança contra algum inimigo. Porém, ninguém faz nada para mudar o comportamento arraigado dentro de sua mente, dentro de seus anseios, dentro de seu mundo criado para a sua personalidade se deleitar, com histórias e dramas, com comédias e tristezas.
     Finalmente o tempo se acaba e as cenas terminam e a humanidade descobre que toda aquela vida encenada para si mesmo termina. Resta apenas o que se encenou aos outros, que irão guardar na memória até um momento em que estas lembranças já não mais satisfazem e o esquecimento total surge, mostrando que a vida é apenas uma sucessão de lembranças que são finitas e que não servem de nada, a não ser que a humanidade busque a verdadeira ligação com o divino, com o poder universal que deseja mudar o mundo para algo melhor. No momento que este poder fizer parte da humanidade, então ela estará preparada para viver novas cenas. Cenas que farão parte do equilíbrio divino, que abrirão os horizontes da mente humana para coisas acima do pequeno mundo terreno em que vivem.
    Basta de ilusão! Procure a verdade e a verdade te libertará! Não é o que foi dito? E ninguém procura esta verdade. Estão ocupados demais com as ilusões do mundo e não enxergam o Reino de Deus. O Reino de Deus está em todo lugar, mesmo no Inferno, mas as pessoas devem enxergá-lo para notar-lhe a presença. O Reino de Deus é chamado Agartha, o continente oculto, o continente perdido. É ainda Atlântida o reino que submergiu nas águas do oceano profundo. Tudo faz alusão ao reino não visível, ao mundo que nos rodeia e que foge às dimensões estabelecidas pela ciência euclidiana. O reino que faz parte de um mundo muito maior que uma esfera girando em torno de si, que gira em torno de outra esfera e que tem outra esfera menor girando em torno dela. O que isto representa? Apenas leis do universo, deixando evidente que tudo gira e tudo se movimenta, tudo tem vida.
     O mundo do qual queremos falar é um mundo que está além do que os diversos matizes de luz e sombra pode nos mostrar. O mundo não é somente a soma da luz e da sombra. Ele é o equilíbrio dos dois. A união dos extremos: luz-sombra com o seu centro, seu equilíbrio. O reino de Agartha, a Atlântida perdida, o Novo Mundo do Apocalipse. Uma nova tentativa de fazer com que a humanidade consiga ver não apenas a luz que os acompanham ou a sombra que os aterrorizam, mas também perceber o algo mais entre a luz e a sombra. O infinito que se guarda escondido entre os dois pontos.
     Entre dois pólos visíveis existe um ponto invisível, mas sensível, isto é, suscetível à percepção. Este ponto é chamado de Shekinah, o Portal do Reino Límbico ou Inferno, o Vale das tristezas e das lágrimas. Considerado o outro lado do jardim do Éden, não por ser obscuro ou inalcançável, mas por ser a antítese do Éden conhecido como um jardim de delícias, um jardim de hespérides.


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

BRASIL CERVANTES






O Brasil ficou em 22º no quadro de medalhas nas Olimpíadas. Este é um número interessante, já que no Tarô é o número do Louco. O Brasil vem de uns tempos pra cá se comportando como um Louco no estilo D. Quixote, lutando com seus próprios monstros. E não são poucos. Porém, o governo de "La Mancha" prefere ver o país com lunetas mágicas e outros apetrechos a ver a realidade da própria loucura.



Um país do tamanho do nosso ganhar o tanto de medalhas que ganhou, mostra justamente o pouco caso com a população, deixando que países pequenos, do tamanho dos menores estados brasileiros, nos ultrapassem no quadro de medalhas. Não que Cazaquistão, Ucrânia, Cuba, Irã, Jamaica e outros, não mereçam. Mas pela lógica, os países maiores e com maior população deveriam estar na frente, por ter mais pessoas que poderiam estar competindo para se classificar e competir pelo país. Mas não é o que acontece. Porque?
Como pode um país que não investe em seu povo vencer alguma coisa. Os que conseguiram se destacar foram, vamos dizer "os patinhos feios" da ninhada. Porque o comum é não poder se destacar justamente devido ao descaso político. 

Inicia já no dia em que nasce. Os órgãos que cuidam da saúde, falidos há muito tempo, jamais poderão garantir uma saúde de qualidade. Gerando pessoas mal nutridas, sem acompanhamentos médico, sem direito de bem estar durante toda sua vida, participando de enormes filas para ser atendido. Fila para exame, fila para vaga em cirurgias, fila para leito hospitalar. Enfim, um caos social escondido com palavras sem sentido.



Depois da má saúde dada pelo governo, vemos a educação das escolas mal cuidadas, de professores mal pagos, profissionais mal formados, fazendo das escolas públicas um grande depósito de pessoas que só conseguirão cursar uma faculdade pagando altos preços por um ensino superior. 

Junto com esta educação, a cultura denegrida pela mídia, que se encarrega de destroçar o que ainda existe  de real, na cultura e na educação do país. Esta falta de cultura e de educação faz com que pessoas que podiam estar lutando por um país melhor, correr atrás de idéias que não têm nada a ver, fazendo apologia ao sexo desde criança, ao uso de drogas e bebidas indiscriminadamente, fazendo com que o que é feio seja considerado bonito e o bonito feio. Confundindo liberdade com baderna e aliciamento, destruindo mentes brilhantes pelo simples fato de não ter o que fazer com elas.



Isto tudo leva à violência generalizada, onde as pessoas se digladiam pela corrupção e pelo mau comportamento, que vem desde os políticos e vai descendo pela escada, até chegar ao menino pobre que mora na rua.

Se um país quer ser realmente sério, tem que pensar em como investir em si mesmo. Gerando saúde e bem estar para seu povo. Gerar pessoas fortes e saudáveis. Gerar uma boa educação para criar pessoas cientes e orgulhosas de uma verdadeira cultura e usar a educação para gerar mentes brilhantes e competitivas, modificando e mania de pobreza e realmente ser, um país rico e distribuído. Deixando de lado a caricatura grotesca de D. Quixote, fazer uma nova ideia de si mesmo, honrando aquilo que está escrito no meio da bandeira:



ORDEM E PROGRESSO


terça-feira, 10 de julho de 2012

DOGMAS III

SIDDHARTHA GAUTAMA

Ouçam bem, meus discípulos:

"Não se deixem levar por relatos de outros, pela tradição, nem pelo que vocês ouvem dizer. Não se deixem enganar pelo domínio intelectual das escrituras, nem pela mera lógica  ou deduções, nem por reflexões sobre alguma visão; nem pelo fato de que uma determinada visão parece adequada; nem pelo fato de que o asceta que expõe tal visão é o instrutor de vocês. Sigam apenas aquilo que vocês sabem e experimentam em sua própria consciência interior"


Estes trechos fazer parte de uma publicação da "Revista Planeta" de Janeiro de 1997. Por Carlos Cardoso Aveline. 

sábado, 7 de julho de 2012

DOGMAS II

 


O guru de um asham indiano sentava-se todas as noites para fazer suas preces e meditações. Ao redor dele, os discípulos. O gato doméstico do guru, no entanto, perturbava um pouco os presentes, e o instrutor fez com que ele fosse amarrado durante as meditações da noite. Anos depois, quando o guru morreu, o gato continuou sendo trazido para a meditação e amarrado no mesmo local. Quando o gato morreu, outro gato foi trazido para aquela comunidade religiosa para que pudesse ser preso por uma corda durante a meditação da noite. Séculos depois, os estudiosos começaram escrever tratados sobre a importância  de ter um gato amarrado na sala de meditação durante as orações da noite. Mas os sábios eruditos discordavam sobre o tipo de corda que deveriam amarrar o gato. Algumas novas seitas religiosas surgiram então, à partir desta polêmica, e cada uma delas pensava estar preservando melhor a pureza do ensinamento do grande guru. 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

DOGMAS




Certo dia Mara, o deus da maldade e da ignorância, viajava pela India rodeado dos seus ajudantes. Em determinado  moment, o grupo passou por um homem de evidente bondade, cujo rosto brilhava iluminado por um luz interior. Assustados,os demônios menores perguntaram a Mara:

"O que aquele homem encontrou dentro de si, de modo que seu rosto está cheio de paz?"
"Uma verdade importante", respondeu o demônio-chefe com alguma tranquilidade.
"E você não tem medo disso, Mara?"
"Não, porque há grandes probabilidades de que aquela verdade se transforme numa crença"

terça-feira, 12 de junho de 2012

TRANSMUTAÇÃO


ESTE TEXTO EU ENCONTREI NO BLOG DE MARIA AFONSO SANCHO MAS É UMA MATÉRIA QUE SAIU NA REVISTA PLANETA DE MAIO DE 1993. 






Louis Kervran - TRANSMUTAÇÃO




TRANSMUTAÇÃO DE PROTEÍNAS EM HIDRATOS DE CARBONO E VICE VERSA
Traduzido por Rui Rato
Revista Principe Unique nº 115/ Novembro de 1979
Louis Kervran encontrou uma coisa interessante a propósito do azoto que se encontra dentro da proteínas e é indispensável a todos os animais.Uma parte de azoto que ingerimos sobre a forma de proteínas pode ter dois destinos :1º Encarcerado dentro das células.2º Excretado e a sua taxa de excreção mantém-se todos os dias.Louis Kervran observou que quando suprimimos as proteínas. E quando temos uma alimentação sem azoto, encontramos sempre proteínas, dentro do organismo, portanto existe uma formação de azoto a partir de outras substâncias.Por exemplo dando unicamente hidratos de carbono sem nenhum N:C(H20)3, encontramos sempre na urina N(azoto),esta formação se faz no intestino.Ele fez uma segunda experiência, com uma alimentação exclusivamente azotada, e constatou a mesma taxa de excreção. Aqui existe o desaparecimento de N(azoto), então no primeiro caso existe N(azoto) sem este ser importado e aqui constatamos uma transmutação de numa outra substância: Hidratos de Ca. C e O. Portanto uma vez existe um aumento de azoto do nosso corpo e outra vez exsite o desaparecimento de azoto do corpo.Porquê?Louis Kervran não sabia como explicar isto. Ele procurou muitas soluções, mas não foi capaz de explicar a verdadeira causa.O nosso corpo é semelhante a um ciclotron que transmuta os elementos com uma explosão, mas dentro do nosso corpo, isto se faz sem explosão, sem nenhum barulho. Como uma tal maravilha se produz dentro do nosso corpo? A transmutação faz-se ao nível do sangue, dentro da hemoglobina. E os intestinos são a parte mais importante. No Japão no verão, nós deixamos os pés e a cabeça nus, mas não os intestinos…. Aqui nós comemos gelados, sumos de fruta gelados, etc.. O frio enfraquece os intestinos, sobretudo ao nível da hemoglobina. A nossa hemoglobina pode transformar não importa o quê, os átomos também, portanto mais fácil ainda transformar proteínas gorduras e hidratos de carbono.Com sol, água e ar, nós podemos viver sem comer e beber. Vocês conhecem o caminho de Lao-Tseu 

PEGADAS DE STANISLAV GROF

                                       UM MUNDO DE ILUSÕES





"Quando todos os limites se dissolvem e nós os transcendemos, podemos ter a experiência de identificação com a própria fonte criativa, sendo na forma de Consciência Absoluta ou de Vazio Cósmico. Assim descobrimos que nossa verdadeira identidade não é o eu individual, mas o Self universal".



"Uma das importantes tarefas na jornada espiritual é ser capaz de ver o divino não somente no extraordinário e comum, mas também no inferior e feio"




"Os dogmas e as atividades das religiões dominantes tendem a obscurecer o fato de que o único lugar onde a verdadeira espiritualidade pode ser encontrada é dentro da psique de cada um de nós. Na pior das hipóteses, a religião organizada pode funcionar como um grave impedimento e qualquer busca espiritual séria, em vez de ser uma instituição que pode nos ajudar a conectar-nos com o divino".




"A extensão e o grau do livre-arbítrio que temos enquanto protagonistas nos diferentes níveis do jogo cósmico diminuem com a descida da consciência do Absoluto para o plano da existência material e aumentam no percurso da jornada espiritual de retorno".



quarta-feira, 6 de junho de 2012

PEGADAS DE GANDHI





"Não me considero digno de ser citado na mesma categoria dos profetas. Eu sou apenas alguém que busca a verdade. Estou ansioso para compreender a mim mesmo para alcançar o moksha (libertação espiritual) nesta existência".


"Para alcançar o meu objetivo, não preciso buscar refúgio em uma caverna. Eu carrego uma em mim se sou capaz de reconhecê-la".




"Eu quero viver em paz com o  amigo e com o inimigo. Mesmo que um muçulmano, um cristão ou um hindu me despreze ou me odeie, eu quero amá-lo e servir a ele, como amaria a minha mulher ou o meu filho, mesmo que eles me odiassem".


"Yajna (sacrifício) significa um ato voltado para o bem estar dos outros, realizado sem que se deseje qualquer recompensa por ele, seja de natureza material ou espiritual".



"Considerando também o ponto de vista de ahimsa (não-violência), não é Yajna sacrificar animais inferiores, mesmo com intuito de servir a humanidade".


"Toda ação que não se pode enquadrar na categoria de Yajna promove servidão".


"Para mim, as diversas religiões são belas flores do mesmo jardim, ou galhos da mesma majestosa arvore. Por isso, são igualmente verdadeiras, embora sejam recebidas e interpretadas através de instrumentos humanos igualmente imperfeitos. É impossível para mim aceitar a ideia de conversão da maneira como é concebida hoje na Índia e em qualquer outra parte do mundo. Esse conceito é um erro que talvez seja o grande impedimento para a obtenção da paz mundial".



                                                                            Mohandas Karamchand Gandhi


(que detestava ser chamado de Mahatma, "grande alma")  

quinta-feira, 31 de maio de 2012

DROGAS ACEITAS - FECHE OS OLHOS


                                                                   FECHE OS OLHOS




             

Feche os olhos e veja, o mundo real,
Fuja da verdade, fuja do que vê,
Aceite a mentira, aceite a verdade.






Feche os olhos e não veja mais o que se oferece,
Os paliativos que encobrem a verdade,
Não veja o que é proibido, não veja o que é aceito.



DROGAS ACEITAS - POLUIÇÃO


                                                                      POLUIÇÃO






A poluição está em todo lugar,

Não está somente no ar,
Respiramos a poluição urbana,
Bebemos a poluição química,
Somos a poluição.


Poluição não é apenas do natural,
Poluição também existe no artificial,
Poluição sonora de vizinhos egoístas,
Poluição visual das emissoras de televisão.




Mas a poluição é aceita, é sinal de prosperidade,
É ninguém enxerga a pior das poluições,
Ninguém enxerga que o mundo todo está poluído,
Por algo chamado “humano”,
Somos apenas animais que pensam que estão pensando,
Na realidade é só egoísmo.





DROGAS ACEITAS - DEVASTAÇÃO


                                                       

                                                              DEVASTAÇÃO




Um chip toma o lugar de uma floresta,
Pessoas cavam gigantescos túneis dentro da terra,

Florestas milenares dão lugar para plantação,
Águas cristalinas dão lugar ao lodo negro.

                                     


Pessoas dão lugar a animais violentos,
Abrindo portas para demônios interiores,
Mais vale um momento de prazer e riqueza,
Que a mais bela e profunda beleza.
                                     
                                       


A devastação é exterior,
A devastação é interior,
Nada é proibido para alcançar a riqueza,
Nada é proibido ao se devastar a natureza.

domingo, 27 de maio de 2012

DROGAS ACEITAS: SANGUE NEGRO


                                                          SANGUE NEGRO




Os sanguessugas bebem o sangue da terra,
Criam seu mundo fantástico e cheio de ilusão,
Transformam a vida em momentos artificiais,
E Gaia morre um pouco mais.




E quando a mãe morre leva consigo seus filhos,

Seu sangue se mistura com o sangue da guerra,
A bandeira rubro negra se espalha pelo mundo,
A podridão e os cadáveres se confundem no chão.


Onde estão os que enxergam a verdade?
Onde estão aqueles que pensam diferente?

Um dia o sangue vai acabar.

Um dia o sangue terá o seu fim.


DROGAS ACEITAS: MANIPULAÇÃO POLÍTICA


                                                    MANIPULAÇÃO POLÍTICA




Os políticos estão felizes, conseguiram o que queriam,
Mais uma eleição manipulada, mais um tirano no poder.


As pessoas estão cansadas, das mesmas faces da política,
Ninguém muda nada, ninguém pensa em ninguém.


É proibido manipular, é proibido comprar voto,

Mas a eleição é transparente, ganha sempre o melhor.


quarta-feira, 23 de maio de 2012

DROGAS ACEITAS: GUERRAS SANGRENTAS


GUERRAS SANGRENTAS






É tempo de sangue, é tempo de guerra,
O conflito continua, e todos sabem,
Os donos da guerra estão muito longe,
Não participam, somente os peões.


É tempo de guerra, é tempo de sangue,
Todos morrem de alguma forma, o conflito continua,
Os que ficam são os donos da guerra, estão muito longe,
Perdem a vida os que participam, morrem os peões.



É tempo de contar os cadáveres, de espantar os abutres,
É tempo de contar o dinheiro, de recolher as armas,

É tempo de vender para outros, para novas marionetes,
Os vampiros estão prontos, para sugar novo sangue.



DROGAS ACEITAS : ANTICONCEPCIONAIS


ANTICONCEPCIONAIS




Os hormônios transformam o corpo no que é,
Os hormônios comandam o equilíbrio humano,
Mas a ciência mexeu no equilíbrio,
E os hormônios em desequilíbrio criaram híbridos.


Mulheres já não são escravas da sua própria natureza,
Podem gozar sua ânsia de desejo desequilibrado,
Mas cuidado, que você pode um dia querer um filho,
E já pode ser tarde demais, os hormônios mataram a mãe.




A Grande Mãe Gaia foi banida para sempre,
Eros e Baco venceram em sua disputa,
Mas vale o sonho de uma liberdade ilusória,
Mas vale o gozo de uma prostituta.



terça-feira, 15 de maio de 2012

DROGAS ACEITAS - ALIMENTAÇÃO ARTIFICIAL


ALIMENTAÇÃO ARTIFICIAL


Sua alimentação é veneno, não adianta escapar,
Alimentação vegetariana cheia de agrotóxicos,
Pode ser transgênica, pode ser fatal.



Sua alimentação é artificial, não adianta escapar,
Alimentação de laboratório, cheia de química,

Aromas e essências, gorduras e poções.


A mágica transformou o artifício em poção letal,
O alimento se transformou em veneno comercial.

DROGAS ACEITAS - ÁLCOOL


ÁLCOOL


Ele te leva até o céu, depois te leva até o inferno,
Pessoas que não vivem sem ele, pessoas que vivem em função dele,
Impregnando o corpo, queimando aos poucos,
Derretendo e corroendo o fígado, aumentando a pressão.




A taxa de açúcar caiu, a coordenação motora sumiu,
O ritmo cardíaco mudou, delirium tremens na mão,
Mas você pode beber, porque álcool é status, é aceito.