PAGINAS

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

BRASIL CERVANTES






O Brasil ficou em 22º no quadro de medalhas nas Olimpíadas. Este é um número interessante, já que no Tarô é o número do Louco. O Brasil vem de uns tempos pra cá se comportando como um Louco no estilo D. Quixote, lutando com seus próprios monstros. E não são poucos. Porém, o governo de "La Mancha" prefere ver o país com lunetas mágicas e outros apetrechos a ver a realidade da própria loucura.



Um país do tamanho do nosso ganhar o tanto de medalhas que ganhou, mostra justamente o pouco caso com a população, deixando que países pequenos, do tamanho dos menores estados brasileiros, nos ultrapassem no quadro de medalhas. Não que Cazaquistão, Ucrânia, Cuba, Irã, Jamaica e outros, não mereçam. Mas pela lógica, os países maiores e com maior população deveriam estar na frente, por ter mais pessoas que poderiam estar competindo para se classificar e competir pelo país. Mas não é o que acontece. Porque?
Como pode um país que não investe em seu povo vencer alguma coisa. Os que conseguiram se destacar foram, vamos dizer "os patinhos feios" da ninhada. Porque o comum é não poder se destacar justamente devido ao descaso político. 

Inicia já no dia em que nasce. Os órgãos que cuidam da saúde, falidos há muito tempo, jamais poderão garantir uma saúde de qualidade. Gerando pessoas mal nutridas, sem acompanhamentos médico, sem direito de bem estar durante toda sua vida, participando de enormes filas para ser atendido. Fila para exame, fila para vaga em cirurgias, fila para leito hospitalar. Enfim, um caos social escondido com palavras sem sentido.



Depois da má saúde dada pelo governo, vemos a educação das escolas mal cuidadas, de professores mal pagos, profissionais mal formados, fazendo das escolas públicas um grande depósito de pessoas que só conseguirão cursar uma faculdade pagando altos preços por um ensino superior. 

Junto com esta educação, a cultura denegrida pela mídia, que se encarrega de destroçar o que ainda existe  de real, na cultura e na educação do país. Esta falta de cultura e de educação faz com que pessoas que podiam estar lutando por um país melhor, correr atrás de idéias que não têm nada a ver, fazendo apologia ao sexo desde criança, ao uso de drogas e bebidas indiscriminadamente, fazendo com que o que é feio seja considerado bonito e o bonito feio. Confundindo liberdade com baderna e aliciamento, destruindo mentes brilhantes pelo simples fato de não ter o que fazer com elas.



Isto tudo leva à violência generalizada, onde as pessoas se digladiam pela corrupção e pelo mau comportamento, que vem desde os políticos e vai descendo pela escada, até chegar ao menino pobre que mora na rua.

Se um país quer ser realmente sério, tem que pensar em como investir em si mesmo. Gerando saúde e bem estar para seu povo. Gerar pessoas fortes e saudáveis. Gerar uma boa educação para criar pessoas cientes e orgulhosas de uma verdadeira cultura e usar a educação para gerar mentes brilhantes e competitivas, modificando e mania de pobreza e realmente ser, um país rico e distribuído. Deixando de lado a caricatura grotesca de D. Quixote, fazer uma nova ideia de si mesmo, honrando aquilo que está escrito no meio da bandeira:



ORDEM E PROGRESSO