PAGINAS

terça-feira, 19 de novembro de 2013

VERBORRAGIA




Noites em claro, absurdas,
Surdas, no vácuo de outra dimensão,
Em menção honrosa de buracos negros distantes,
Destoantes com as verdades da física moderna.
Materna é a vida que tenta criar a cria,
Acre de desgosto por não saber o que se tornou,
Terno apertado dentro do jogo paterno de Ser,
Descendo ao inferno como antes se fazia.
Azia e acidez do enxofre derretido,
Retido entre tumbas dos heróis mortos,
Portos fecham as portas, as porcas não andam,
Dão suspiros finais no açougue imundo.
Mundo decepcionante de ideias inertes,
Nerds que vivem em sua vida digital,
Vegetal artificial, coma mental induzido,
Cozido com as artimanhas do mundo terminado,
Mundo de escuridões absurdas.