PAGINAS

quarta-feira, 11 de março de 2015

MOTO PERPETUO - LABIRINTO



MOTO PERPETUO - LABIRINTO

Eis que se esconde entre a razão e a insanidade,
Confundindo a loucura e a realidade,
A cabeça de touro se funde na escuridão,
O corpo de homem segue cego, o coração,
Tem na memória uma vaga lembrança da saída do labirinto,
Uma voz da alma que se confunde com o instinto,
Segue o fio que leva para fora da caverna,
Onde a vida começa e se torna eterna.

Elder Prior 

CRONICA DE CRONOS - PANELAS



Panelas cozinhando o galo, o gado,
O servidor, serviçal, sereno e esquecido,
Das promessas, dos processos, da verdade,
Da sua necessidade, uma auto piedade,
Daquilo que não necessita, 
E vende tudo.
Vende Deus e o mundo, e o fundo não tem valor,
Começa o calor,
E a chuva seca o carcaça,
Sem graça, que se mostra solitária,
Acima da faixa da ordem e do progresso,
E o regresso da anistia trazendo o retrocesso,
De ideias que se foram num milênio passado,
Passou e foi encarcerado, cozido e espalhado,
Nas panelas da multidão faminta.

Elder Prior